14 de dez de 2012

Contos Sexual: Minha mulher fez sexo com 3 homens em São Vicente

A idéia era ter um amigo para sexo a três (menage a trois) em São Vicente, mas no final minha mulher teve que satisfazer 4 homens, trepando, tomando porra e tendo que aguentar um superdotado enfiando o pau na buceta dela.


O que relatarei a seguir me diexa de pau duro até hoje só em pensar na cena.
Minha mulher é uma morena clara e moramos em São Vicente, no litoral de São Paulo. Meu nome é Kal-El e somos adeptos do ménage e já saímos com alguns homens e mulheres em separado, ou seja, eu, minha mulher, Clarice e mais um homem ou mais uma mulher (curtimos o menage mas não fazemos swing).
Uma certa vez, depois de algumas experiências, acabamos entrando em contato com um rapaz (Lino), cerca de 20 anos que estava vindo para a região passar as férias e com ele, trouxe mais dois amigos. Esse rapaz mandou algumas fotos por e-mail e ela achou interessante, já que ele tinha um corpo normal, mais ou menos 1,80 de altura e um pau bem grande, de uns 18 ou 19 centímetros e grosso, com uma cabeça que parecia um cogumelo. Minha mulher é baixinha, bonita, seios médios e uma buceta depilada e apertada. Ela deu um sorrisinho e já imaginei do por que do sorriso: ela já estava pensando naquele pau entrando na buceta dela.
Lino então insinuou educadamente que os amigos dele eram bem legais e que já pensaram em uma festinha desse tipo, mas que nunca tinha havido oportunidade, já que em geral os casais querem apenas mais um amigo para a transa. No entanto, Clarice pensou a respeito e perguntou se os amigos dele tinham fotos e ele disse que não, mas que poderiam tirar, caso ela se interessasse em vê-los para decidir.
No dia seguinte, ao entramos em nosso MSN, vimos que havia mensagem e entramos para ver. Eram fotos dos dois amigos de Lino, cujos nomes eram Carlos e José. Eram cerca de 7 a 10 fotos de ambos, que eles mesmos tiraram no dia anterior no apartamento em que estavam. Carlos tinha uns 20 anos também e corpo normal, com um pau de uns 18 centimetros, um pouco menos grosso do que o do Lino. Ela viu as fotos e ao dar seu sorrisinho, eu percebi que ela havia aprovado o novo amigo.
Foi então a vez de olharamos a foto do José. Ao olhar a primeira foto, Clarice arregalou os olhos. O que ela via era algo descomunal. José tinha um corpo esguio, era moreno, uns 25 anos e seu pau era algo fora dos padrões, pois tinha uns 25 centímetros, grosso e na foto, estava muito duro o que aumentava a sensação de tamanho. A cabeça do caralho dele era grande e percebi os olhos de Clarice fixos naquele pau. Perguntei a ela sorrindo se ela tinha gostado e ela me respondeu que só tinha visto algo assim em filmes e fotos e que não tinha certeza do que aconteceria se aquilo tentasse entrar nela.
Mesmo assim, percebi que Clarice estava excitada. Ela estava de saia sem calcinha olhando aquelas fotos e eu levei o dedo até sua bucetinha e percebi que estava molhada. enfiei um pouco o dedo na buceta e vi os bicos dos seios dela ficando duro e ela emitiu um gemidinho. Ela estava ficando encharcada e os olhos estavam fixos naquele pau. Perguntei a ela se ela queria experimentar aquilo para ver se cabia tudo nela e ela disse que sim..que queria sentir. Nesse momento, eu estava com dois dedos na buceta, até o fundo e perguntei se ela ageuntaria tudo aquilo entrando na bucetinha apertadinha dela e ela nem respondeu pois gozou imaginando. Aproveitei e chupei a buceta toda ensopada de gozo e depois foi a vez dela fazer um oral erm mim até eu soltar minha porra na boquinha delciosa e quentinha dela.
Deixamos mensagem para que Lino ligasse para nós (temos um celular só para esses encontros) e pouco depois ele ligou. Combinamos que o encontro seria no dia seguinte, em um motel de Santos que aceita vários em um quarto, cada um pagando sua parte, claro. Na suíte que pegamos, o período era de 3 horas e com hidro.
Eles entraram primeiro e depois nos ligaram avisando o número da suite. Chegamos pouco depois. Ao abrirem a porta, cumprimentos feitos, sentamos todos na cama e Clarice estava em um misto de excitação e ansiedade.

Ela estava de mini-saia e blusinha sem sutiã. Pequenina,  sentada na cama rodeada de 4 homens querendo devorá-la era uma cena digna de filme pornô.
Facilitei as coisas dizendo que bastaria que cuidassem dela direitinho. Eles sorriram e ela olhou todos e começaram a brincadeira. Chegaram mais perto dela e começaram a passar as mãos nas coxas dela. Um deles foi baixando a alça de sua blusinha e os seios dela apareceram. Parece que aquela cena foi o sinal para eles começarem prá valer mesmo.
Percebi que os paus estavam duros por baixo das bermudas e ela, enquanto era beijada por um, tinha o seio chupado por outro e outro estava abrindo as pernas dela para passar a mão na sua buceta. Ela levou as mãos nos paus para sentí-los. Ficaram nisso alguns minutos quando ela disse que seria interessante todos irem tomar um banho juntos. Eu, do meu lado, apenas olhava e filmava/fotografava. Eles brincaram com ela mais um pouco e depois foram tirando a roupa, ficando pelados na frente dela. Foi aí que eu e ela vimos ao vivo aquele pau enorme, parecendo uma mistura do tamanho de uma linguiça calabresa com a grossura de um paio. Realmente descomunal. Ela se levantou e foram todos para o banheiro tomarem banho juntos. Eles ficaram se revezando na ducha e ela passava sobonete em todos e aproveitava para bater uma punhetinha em cada um. Depois de tirar a espuma, ela se abaixava e dava uma chupada nos paus.


Quando chegou a vez do José, ela se abaixou, segurou o pau enorme com as duas mãos e começou a lamber e sugar a cabeça. Mal cabia na boca dela. Ela teve que abrir toda a boquinha para que a cabeça passasse e isso já demonstrava o que estava por vir, quando fosse na buceta.
Depois de se secarem, foram para a cama e aí, ela deitada, um deles já foi para o meio das pernas dela, abrindo a bucetinha e começando a chupar e enfiar a língua bem fundo em Clarice. Ao mesmo tempo um era punhetado por ela enquanto outro estava com o pau na boca dela. Eu fotografando e filmando tudo. Ela às vezes trazia o outro pau que estava na mão até a boca dela e ficava lambendo os dois, chupando as cabeças, as bolas. Enquanto isso, o outro lá embaixo, já colocava um dedo na buceta e ficava chupando o clitóris e tirando e colocando fundo o dedo na gritinha de Clarice. Minha mulher era devorada por três garotos que estavam com muita vontade de comê-la, pois os paus estavam duros há bastante tempo.
O que estava preparando a buceta de Clarice foi o primeiro a colocar a camisinha e enconstou a cabeça na entrada da grutinha de Clarice. Era o Lino, e em pouco tempo a cabeça entrou e ela abriu mais as pernas, para receber os quase 20 centimetros dentro dela. Vi os bicos dos peitinhos dela se arrepiarem na hora. Um deles foi até seu sio e começou a sugar o bico duro e ela gemeu mais alto. O outro enfiou ainda mais o pau na boca dela e ela ficou lá, com um na buceta, um sugando os seios e outro com o caralho na boca dela.
Lino, que estava socando foi se deitando nela e em pouco tempo os dois que estavam na boca dela estavam assistindo enquanto Lino deitava inteiramente na minha mulher e começava a socar.


Os outros dois ficaram olhando, de paus duros, esperando a continuidade. Lino cochichou algo no ouvido de Clarice e ela respondeu que sim. Ele saiu de cima dela e foi tirando o pau da buceta, Era realmente grande e grosso. Clarice então ficou de 4 e ele novamente penetrou  e dessa vez, os amigos voltaram e um pôs o pau na boca e outro ficou ao lado, batendo punheta e às vezes, levando o pau babado para ela chupar. Ela de 4, com dois homens revezando na boca e um agora trepado nela, socando forte. Foi uma cena excitante. Lino se deitou na costa dela, trepado e disse que estava louco para gozar na boquinha dela. Ela disse que iria adorar e ele saiu da buceta e trouxe a pica para a boca dela. Os amigos sairam e deram lugar a ele. Ele bateu uma punhetinha rápida e pôs o pau na boca de Clarice, que começou a gemer, setindo a porra quente e grossa de Lino descendo pela sua garganta. Pude ver um pouco da porra escorrendo pelo canto. Depois de algum tempo ele saiu e os outros aproveitaram. Foi a vez de Carlos. Ele pediu para ela sentar no pau dele e ela encaixou a buceta rapidamente, pois já estava lubrificada. Ficou rebolando no pau de Carlos enquanto José trazia o pau descomunal dele para ela punhetar e chupar. Carlos levantou um pouco o corpo de Clarice e começou a socar forte de baixo para cima. Ela gemia abafado, pois estava entalada com o pau de José na boca. Carlos pediu para ela inverter, ficando sentada no caralho, mas com a bunda virada para ele. Ela obedeceu e ficou subindo e descendo, de costas para Carlos, encaixada no pau dele.

Ele não aguentou muito e disse que iria gozar. Ela então tirou o pau de José da boca, desencaixou a buceta do pau de Carlos, tirou a camisinha e começou a chupar, olhando para ele. Ele começou a gemer e disse que iria explodir de gozo na boca dela. Ela sorriu e o pau dele começou a soltar uma quantidade enorme de porra. Ela chupava a cabeça e parte da porra descia pelo pau e pelas mãos dela. Depois que ele terminou de soltar jatos de gozo, ela foi lambendo tudo, passando a língua e sugando toda a porra dele. No final, lambeu as mãos que estavam com gozo também. Clarice realmente adora gozo. Lino, que já havia gozado, já estava de pau duro de novo. Carlos soltava frases " que delicia"..que tesão de mulher;....coisas assim, elogiando Clarice. Depois de tomar as últimas gotas, Clarice soltou o pau de Carlos.
Era a vez dela saber se conseguiria engolir pela buceta todo aquele pau de José. De antemão, ela começou a chupar e quando o pau estava muito duro, quase nao cabendo a cabeça dentro da boca dela, Clarice procurou uma camisinha especial para dotados e foi pondo no pau. Então ele pediu pa Clarice deitar e foi para o meio das pernas dela.
Ela trouxe um lubrificante para a ocasião, pois só a lubrificação natural não seria suficiente. Ele então passou o creme na entrada da buceta de Clarice e também um pouco na cabeça do pau. Ela ficou de pernas bem abertas e ele posicionou o pau na portinha e começou a empurrar. Ela levou as duas mãos na buceta e ajudou a abrir  e então, a cabeça enorme passou.


José ficou apoiado nos braços, acima dela e faltava mais de 20 centimetros para entrar. Ela novamente soltou um gemido e seus bicos dos seios ficaram duros. José começou a fazer movimentos, tirando e colocando a cabeça, enfiando um pouco de cada vez e depois se deitou nela e perguntou se estava tudo bem.


Ela respondeu que sim e ele foi enfiando mais. Eu , atrás deles, filmando minha mulher de pernas abertas, com a  buceta toda aberta, recebendo um pau enorme e cabeçudo dentro dela. Meu pau estava quase estourando de tão duro que estava.
Ele foi movimentando aquela linguiça cada vez mais, forçando a entrada, mas sem ser bruto. Faltava pouco e então, com mais umas estocadas, a base do pau encostou na buceta de Clarice. Ela estava com um pau de 25 centimetros todo entalado dentro dela. Ele então , percendo que estava tudo bem, começou a fazer movimentos de entra e sai, tipo bate-estaca e tirava quase tudo e enfiava de novo. Novamente ele se apoiou nos braços e Clarice pode ver o tamanho daquilo que ela estava aguentando. Ela olhava para baixo e via aquele pau descomunal saindo quase todo e entrando de novo. Ela estava quase hipnotizada  e então José começou a acelerar e Clarice começou a gemer. Ela ficou olhando e gemeu mais alto e eu soube que ela estava gozando. José socou mais um pouco e depois deu uma pausa. Eu, Carlos e Lino estávamos assitindo a tudo...Era um verdadeiro filme pornô.


Depois de uns momentos, José pediu a Clarice para ficar de 4. Ela virou-se e ele posicionou aquele pau fenomenal na porta da buceta e começou a entrar, agora mais fácil,  já que Clarice havia se acostumado com o diâmetro.


Ele enfiou uma parte, depois tirou quase tudo, e foi enfiando, enfiando, até sumir quase tudo. Em ua última estocada, as bolas encostaram na buceta e novamente ele começou a bombar. Eu filmava de cima para baixo e era uma cena digna de mostrar em qualquer fetival pornô. Ele trepou nela e ficou lá, socando aquela tora dentro de Clarice, que se curvou um pouco, se apoiando em um ombro e liberando o braço direito para levar a mão até o clitóris. Ela acariciava as bolas de José e depois levou dois dedos até a abertura da buceta para sentir o diâmetro do pau. Os dedos dela tocaram a base do pau de José e ela pode perceber como a buceta estava aberta, pelo diâmetro da base do cacete. Claro que eu estava dando closes, para que ela pudesse ver a quantidade de pau que estava dentro dela quando visse a filmagem e fotos.
Os amigos estava impressionados, pois não tinham feito nada daquilo antes e para eles ver uma cena daquelas era tão excitante quando estava sendo para mim.


José socava cada vez com mais força e Clarice começou a gemer alto e gozar de novo. José deu mais uma pequena pausa e foi retirando o pau de dentro da buceta dela. Conforme ele foi tirando, todos, inclusive ela, ficamos olhando aquilo saindo. Após isso, ele tirou a camisinha e ela, agora deitada de barriga para cima, pediu para ele trazer o pau e começou a chupar e punhetar ao mesmo tempo. José, que já havia socado um  monte na buceta dela não aguentou muito tempo e começou a gozar, soltando muita porra na boquinha aberta dela, que foi se enchendo. Ela entao abocanhou o pau e ao mesmo tempo foi engolindo aquelas golfadas de gozo. Lambeu até que não ficasse nenhuma gota. Eu tinha filmado tudo e não aguentando mais, coloquei a cabeça do meu pau na sua boca e começei a bater punheta enquanto Clarice acariciava minhas bolas. Não demorou muito e também enchi a boca de minha mulher de porra.
Depois disso, descansamos e batemos um pouco de papo. Ela então foi para o banheiro e entrou na banheira, previamente cheia. Ficou um tempo lá e em breve estávamos todos lá. Enquanto um tomava banho, os outros dois ficaram na borda da banheira, um beijando e outro acariciando os seios de Clarice. Paus duros, um deles pediu a ela que saissse da banheira e já colocando a camisinha, começou a enfiar o pau com ela apoiada na beira da piscina, enquanto ele penetraba por trás, na buceta. Socou rápido, os dois de pé e em pouco tempo Lino gozava dentro de minha mulher. Depois, tirando o pau, ela ficou de pé e viu Carlos também de pau duro. Se ajoelhou e começou a chupar e, camisinha colocada, se posicionou novamente na beirada da banheira e Carlos, por trás, também socou bastante e gozou.


José, que estava tomando banho, saiu do banho, secou-se e já estava de novo de pau duro. Ele sentou-se na beirada da banheira e, camisinha colocada, pediu para Clarice sentar-se no pau dele, de costas. Ficou ele sentado e ela sentada no pau, de frente para mim e de costas para José, que dessa vez socou bem fundo, sabendo que ela aguentaria tudo facilmente.
Eu filmava tudo, em todas as posições possíveis. Pouco depois José gozou mais uma vez.
Minha vez, fui até a banheira e na mesma posição de José, pedi para ela sentar. Soquei na buceta de Clarice, que estava fervendo de tão quente com as quantidades de socadas dos três amigos. Gozei fartamente de novo, dessa vez soltando minha porra toda dentro da bucetinha dela. Quando ela saiu de cima, meu gozo escorreu pela sua buceta. Ela então entrou na banheira e ficou um tempo lá, descansando da tarefa de satisfazer 4 machos que haviam gozado na sua boca e na sua buceta.
Fomos depois para a cama e após conversarmos mais um pouco, verioficamos que o período estava acabando e resolvemos nos despedir, com promessas de repetirmos em breve.


--------------------------------------------
Atenção: nomes são fictícios (não reais), para preservar o anonimato.
As fotos são apenas para ilustrar o conto e não são dos personagens do relato.



----------------------------------------------------------------

Gostou da História? CLIQUE AQUI E  ENVIE A SUA 


 .

Um comentário:

  1. bom meu amigo gostei muito de sua historia e gostaria de poder me corresponder com vcs,sou de São Paulo

    ResponderExcluir